top of page

A primeira infância e o brincar

- Maisa Pessoa Ramansini Pinto -



Ao contrário do que alguns acreditam, o desenvolvimento motor é adquirido através de fatores biológicos, ambientais e ocupacionais, levando a um processo permanente de alterações funcionais do organismo. Sendo que com o caminhar da vida, tais habilidades desenvolvidas e adquiridas poderão passar por alterações e ajustes para então novamente se adequar aos fatores biológicos, ambientais e ocupacionais que vieram a ser modificados (Giordani, et. al., 2013).

Naturalmente o individuo virá a se desenvolver, se adequará aos fatores ambientais, biológicos e ocupacionais para então adquirir suas habilidades, estabelecendo uma sequência nos fatos ocorridos percorrendo cada etapa para então passar para a próxima. Entretanto, há fatores que podem interferir para tais habilidades serem adquiridas em menor tempo, dificuldade ou empenho. A hereditariedade estabelece as bases para o desenvolvimento, porém, o ambiente/experiência é quem afeta o ritmo e a aquisição das habilidades motoras. Além disso, o ambiente desempenha importante papel no desenvolvimento da linguagem enquanto a cognição e a personalidade são mais influenciadas por variações de experiência. (Giordani, et. al., 2013)

Oportunidades, interações ambientais, encorajamento, estímulos sociais são essenciais e garantem que a criança possa adquirir habilidades e ter um desenvolvimento adequado às suas necessidades e competências. (Oliveira, 2012)Pais e cuidadores são os principais agentes do desenvolvimento motor, e, a casa é o principal ambiente da criança na primeira infância. Desse modo, os estímulos apresentados a esta criança são os influenciadores no ritmo de seu desenvolvimento e na sua eficiência. Se proporcionamos variedade de estímulos, sensoriais, motores, sociais e ambientais por exemplo, daremos oportunidades para a criança adquirir novas habilidades ou aprimorar as já presentes.


Outro fator que deve ser levado em consideração é a apresentação de tais estímulos. Socialmente o ambiente de interação do bebê é muito limitado devido a crenças e ignorância quando nos referimos ao desenvolvimento motor. Por vezes, bebês típicos ou atípicos, podem ter poucas oportunidades para se desenvolver. Frases e ações de exclusão ou inibitórias são facilmente previstas em um ambiente pouco estimulado ou ausente de informações. Desencorajando assim tanto pais e cuidadores quanto as próprias crianças. Desse modo encontra-se a importância em capacitar profissionais e mesmo pais e cuidadores quanto a importância do estímulo e apresentação do ambiente para a criança se desenvolver motora e psicologicamente. Profissionais que podem vir de diversas áreas dependendo da necessidade apresentada pela família e pelo ambiente ali inseridos. Cada profissional habilitado para trabalhar com a faixa etária da primeira infância irá avaliar e estabelecer suas condutas oferecendo oportunidades biológicas, ambientais e ocupacionais para a criança dentro de suas necessidades.

Avaliar a estimulação disponível para a criança dentro de uma determinada família e propor intervenções com a participação efetiva dos pais/cuidadores são atitudes que podem fornecer elementos importantes para o alicerce e formação de políticas de saúde e educação nos programas voltados ao desenvolvimento da primeira infância. (Oliveira, 2012).



Após avaliação e elaboração de condutas, facilmente encontraremos o brincar como foco de atenção e desenvolvimento. Durante a primeira infância, estruturamos o brincar com manipulação de objetos, estímulos visuais e sonoros, despertando interesse, aquisição de posturas e movimentos. A apresentação do brincar pode ser avaliado e prescritos modificações quando necessário, proporcionando assim oportunidade de conhecimento e interação da família e cuidadores, bem como da criança. Dentro da fisioterapia encontramos instrumentos de avaliação como o Affordances in the Home Environment Motor Development (AHEMD) que abrange sua avaliação ao espaço físico interno e externo, atividades diárias, brinquedos e outros materiais da residência e a Alberta Infant Motor Scale (AIMS) que avalia diretamente o desenvolvimento motor de bebês. Existem ainda muitos outros que quando aplicados por profissionais podem ser de grande valia para auxiliar famílias e cuidadores na indicação das necessidades da criança.


De mais, o importante é dar a oportunidade de brincar. Como o desenvolvimento que sofre alterações de acordo com o ambiente, biologia e ofícios, o brincar também sofre interferências culturais, evolutivas e variáveis com o ambiente, biologia e ofícios dentro da própria atividade humana, representando assim o desenvolvimento das necessidades dos povos na construção da civilização. (Fortuna, 2010) Por sua vez brincar, de origem latina, resulta das diversas formas que assumiu a palavra vinculum, passando por vinclu, vincru até chegar a vrinco. É assim que do significado inicial "laço" passa por "adorno, enfeite, jóia que se usa presa na orelha ou pendente dela" até chegar à idéia de brinquedo e brincadeira. Na mitologia grega Brincos eram os pequenos deuses que ficavam voando em torno de Vênus, alegrando-a e enfeitando-a. (Fortuna, 2010). Brincar proporciona estímulos, auxilia no entendimento emocional e sensorial, auxilia no desenvolvimento motor, na aquisição de habilidades e no seu refinamento independente da idade.

O contato do bebê com o familiar ou cuidador durante o momento do brincar estabelece vínculos, contatos, interações e confiança tanto em aspectos psicossociais quanto motores. Quando ainda desenvolvidas brincadeiras de origens culturais diversas, todos se beneficiam, mergulham na história por trás daquele momento, dando continuidade cultural e permanência na sociedade. (Fortuna, 2010)


Hoje a sociedade se desenvolve mais rápido e com menor contato físico e social do que na época de nossos antepassados, a tecnologia veio como um novo meio de brincar que muitas vezes pode estar sendo utilizado como uma distância no desenvolvimento motor em vez de uma aproximação. Desse modo é exigido cautela na administração de determinados equipamentos, sendo até interessante realizar a troca ou associação com momentos do brincar tradicional.

Entretanto, como tudo deve ser bem orientado. Um ambiente rico de estímulos corretos para a faixa etária da criança, pode lhe proporcionar oportunidades de desenvolvimento motor e ganho de habilidades em ritmos adequados ou superiores.

Considerações Finais