top of page

BRINCAR E CONSTRUIR RELAÇÕES

- Roberta Zaharur -


A CONSTRUÇÃO DAS RELAÇÕES PESSOAIS E SOCIAIS


O brincar é fundamental para desenvolver o conhecimento do mundo em que se vive, para se apropriarem das normas de comportamento e da vida em grupo, as brincadeiras servem para provar as experiências. É a relação do indivíduo com a sociedade, inaugurando outros mundos, criando narrativas coletivas e assim tornando esses mundos reais.

O ser humano se revela através das brincadeiras, pois trabalha a racionalidade lógica, diminui as tensões e incita uma alegria revolucionária, ou seja, brincar não significa que não é ser comprometido, é ter uma experiência de prazer e liberdade. Sentir o mundo como um grande brinquedo se apropriando da realidade e desenvolver conhecimentos através da imaginação; competências afetivas e cognitivas, e ter a possibilidade de enxergar aquilo que os olhos não veem. O revolucionar pelo brincar é poder se sentir alegre, encantado, transformar e ser transformado pela natureza, saber se divertir com o próprio corpo, se expressar culturalmente, de criar rituais brincantes que envolvam crianças e adultos juntos desenvolvendo oportunidades de vivenciar diversos papéis, aprender que quando se constrói vínculos se pensa e repensa nos valores sociais e morais; é saber que escutar e observar o outro se torna importante para poder compartilhar.



As brincadeiras normalmente têm uma raiz, mas que pode ramificar para várias propostas como: socialização; inclusão; atenção; ampliação de repertório; troca de experiências e vivência em sintonia. Favorece o estímulo da curiosidade, a autoestima e a interação comum, além de possibilitar descobertas e a compreensão das diversas possibilidades e oportunidades que o mundo está cheio, para expansão da criatividade e exercício da autonomia.


Para Vygotsky (1998), a criação de situações imaginárias na brincadeira surge da tensão entre o indivíduo e a sociedade e a brincadeira libera a criança das amarras da realidade imediata, dando-lhe oportunidade para controlar uma situação existente (Cerisara, 2002).



Brincadeiras

Brincadeira - Tibitar:


Descrição da brincadeira:

Em grupo de pessoas, uma ou mais pessoas se destacam desse grupo, então escolhem uma palavra (normalmente um verbo, pois indica ação), retorna para o grupo e as pessoas que permaneceram precisam adivinhar a palavra escolhida, porém deve fazer perguntas colocando a palavra tibitar, ex.:”você tibitou hoje?”. Através das perguntas as pessoas vão tentando adivinhar a palavra escolhida.

Objetivo de desenvolvimento:

Diversão, experiência, escutar e observar o outro, trabalhar a capacidade de criatividade e os sentidos das palavras para formular perguntas e respostas, como atitudes em relação ao que cada um tem como forma de comunicação, fortalecer ideias.

Brincadeira - Nome e Gesto (de apresentação)


Descrição da brincadeira:

Em uma roda, cada pessoa fala seu nome e faz um gesto e os outros repetem o nome da pessoa e seu gesto.

Objetivo de desenvolvimento:

Trabalha a atenção, a memória; coordenação motora e psíquica; reconhecimento, o escutar. Identidade; valorização; concentração; empatia;; comunicação; estímulos; sensações, acolhimento.

Brincadeira – O que Você está Fazendo?



Descrição da brincadeira:

Uma pessoa começa a fazer uma determinada ação, aí outro alguém pergunta o que está fazendo, então ela responde outra ação diferente e esse outro alguém tem realizar a ação dita e o próximo consecutivamente.