O IDOSO E O BRINCAR - ENVELHECIMENTO ATIVO

- Raquel Budow -

A Organização Mundial de Saúde passou a adotar o termo envelhecimento ativo no fim dos anos 90. Se quisermos que o envelhecimento seja uma experiência positiva, uma vida mais longa deve ser acompanhada de oportunidades contínuas de saúde, participação e segurança.

O envelhecimento ativo é o aumento da expectativa de uma vida saudável, com qualidade de vida para todas as pessoas que estão envelhecendo, aí pensando também nas mais frágeis, as fisicamente incapacitadas e as que requerem cuidados.


É uma política pública e é aplicada tanto para indivíduos quanto para grupos populacionais.

A palavra “ativo” refere-se à participação contínua nas questões sociais, econômicas, culturais, espirituais e civis, e não somente à capacidade de estar fisicamente ativo ou de fazer parte da força de trabalho. As pessoas mais velhas que se aposentam e aquelas que apresentam alguma doença ou vivem com alguma necessidade especial podem continuar a contribuir ativamente para seus familiares, companheiros, comunidades e países.

QUEM É O IDOSO?


Antes de falar das brincadeiras, que é nosso foco, vamos fazer um retrato rápido do idoso, ou seja, aquela pessoa com 60 anos ou mais. O número de idosos está aumentando no mundo todo nos últimos anos. São as transformações sociodemográficas. Os idosos brasileiros com mais de 60 anos superaram os 30 milhões em 2017, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) divulgada pelo IBGE, e a tendência é que o envelhecimento da população acelere de forma que, em 2031, o número de velhinhos será maior que o de crianças e adolescentes de 0 a 14 anos no país.

Para fazer a comparação: em 2017, a população com 60 anos ou mais somou mais de 30 milhões. Um ano antes, eram mais de 29 milhões e, em 2012, acima de 25 milhões - ou seja, em 5 anos, o país ganhou quase 20% a mais de idosos.

Indo mais longe. Em 2025 esse número chegará a 34 milhões, colocando o país na sexta posição entre as nações com maior população de idosos.


INTERAÇÃO - ESTÁ NA HORA DE OLHAR PARA A QUESTÃO DO IDOSO


Uma observação bem interessante é que o segmento da população de idosos com mais de 80 anos também está crescendo. Os idosos estão envelhecendo mais.

Outro ponto a ser ressaltado é que o envelhecimento pode ser visto como uma questão de gênero. Considerando a população idosa como um todo, observa-se que 55% dela são formados por mulheres.

Mais uma constatação que dá pra fazer é que as principais causas de morte entre a população idosa, incluindo homens e mulheres, estão intimamente ligadas às doenças crônicas que afetam os idosos em todo o mundo. São elas:

• Doenças cardiovasculares (tais como doença coronariana) • Hipertensão • Derrame • Diabete • Câncer • Doença pulmonar obstrutiva crônica • Doenças músculo-esqueléticas (como artrite e osteoporose) • Doenças mentais (principalmente demência e depressão) • Cegueira e diminuição da visão

LEGISLAÇÃO

Para se alcançar a tão sonhada qualidade de vida, no Brasil, para garantir os direitos dos idosos foi criado o Estatuto do Idoso. O Estatuto do Idoso entrou em prática a partir de outubro de 2003. Ficou seis anos tramitando no Congresso. Ele é o projeto de lei nº 3.561 de 1997 e de autoria do então deputado federal Paulo Paim e foi fruto da organização e mobilização de aposentados, pensionistas e idosos vinculados à Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap), resultado de grande conquista para a população idosa e sociedade em geral.

O estatuto institui penas severas para quem desrespeitar ou abandonar cidadãos da terceira idade. Vamos destacar o Capítulo V – Da Educação, Cultura, Esporte e Lazer. Dentro dele, dois artigos que falam sobre lazer, o mais perto que chegamos do brincar.

Artigo 20 – O idoso tem direito a educação, cultura, esporte, lazer, diversões, espetáculos, produtos e serviços que respeitem sua peculiar condição de idade.

Artigo 23 – A participação dos idosos em atividades culturais e de lazer será proporcionada mediante descontos de pelo menos 50% (cinquenta por cento) nos ingressos para eventos artísticos, culturais, esportivos e de lazer, bem como o acesso preferencial aos respectivos locais.

FORMAS DE BRINCAR

Além de proporcionar momentos bons, agradáveis e de descontração, podem as brincadeiras com idosos também ser utilizadas para trabalhar os estímulos da área psicológica, física e mental. Integração social, coordenação motora e capacidade de raciocínio são alguns pontos-chave que podem ser observados por intermédio de uma recreação adequado a este segmento. As atividades ainda podem ajudar a diagnosticar possíveis problemas de saúde de diferentes origens e auxiliar em muitos tipos de tratamentos.


I - Brincadeiras com idosos – Foco na integração social


O convívio social é muito importante para que o idoso não se sinta sozinho e muitas vezes deprimido. A dinâmica do gelo consiste em estimular a integração social, a capacidade de ouvir, prestar atenção, reter informação e aprender a controlar a ansiedade.


1. Após formar um círculo com os participantes, entregue algum objeto que possa determinar a vez de quem irá jogar.

2. Quem estiver com o objeto deverá dizer seu nome e uma curiosidade a seu respeito.

3. Após a participação de todos, inicia-se a segunda rodada que exigirá um pouco mais de concentração.

4. Dessa vez, quem passar o objeto deverá dizer o nome da pessoa escolhida e o que ela falou na primeira rodada. Em caso de dificuldade, a sugestão é que os demais participantes ajudem na tarefa.


II - Brincadeiras com idosos – Melhoria da coordenação motora


Existem muitas dinâmicas e brincadeiras simples que podem estimular a prática de exercícios físicos para melhorar a coordenação motora dos idosos. As recomendações são materiais que todos conhecem: massinhas de modelar, trabalhos artesanais, atividades relacionadas à dança, esportes, ou seja, toda e qualquer atividade que proporcione a movimentação corporal. O importante é fazer com que as atividades sejam sempre feitas em grupo, buscando estimular o contato com outras pessoas. Além de ajudar na coordenação também é uma forma agradável de descontração, promovendo o trabalho em equipe.

III -Brincadeiras com idosos - Exercícios para a mente


Os jogos voltados para o exercício mental são muito importantes. Especialmente para prevenção contra a perda de memória e diminuição da capacidade de entendimento, algumas vezes se tornando grandes desafios de lógica e raciocínio.

Dentre os exemplos mais comuns estão: xadrez, bingo, jogos de cartas, jogos de memória e palavras cruzadas.


Esses jogos envolvem raciocínio e estratégias e, por isso, oferecem muitos benefícios como a melhora da concentração, maior agilidade para tomar decisões e renovação da memória, entre outros. Realizar um jogo de memória em que os idosos devem falar o maior número de palavras que iniciam com uma determinada letra.

Se um participante tiver mais dificuldade, pode receber algum tipo de ajuda do grupo.

66 visualizações

© 2016 IPA BRASIL. Criado por Andréia Luz via WIX.

Contate-nos: +55 11 3255-4563 * contato@ipabrasil.org

                      Rua José Armando Affonseca, 103 (antiga Itambé, 341) 

                      Higienópolis - São Paulo, SP - 01239-001

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - White Circle

ipa brasil, rede brincar, pelo direito de brincar, artigo 31 ONU, agentes do brincar, mediadores do brincar, agentes do brincar inclusivo, International Play Association, ipa world, direito da criança, estatuto da criança e do adolescente, marilena flores, janine dodge, ipa brasil